22 de dezembro de 2018

Campanha Nacional no combate a Diabetes chega a Maceió

A Confederação Internacional de Diabetes divulgou, em 2017, que 425 milhões de pessoas no mundo possuem diabetes e que metade delas ainda não estão diagnosticadas. No Brasil, 5,7 milhões de brasileiros possuem diabetes e não sabem, com base nesses dados o Conselho Federal de Farmácia (CFF) lançou a campanha, Diabetes Não Tem Cara, que buscou conscientizar e realizar exames de rastreamento que identificou pessoas que possuíam diabetes e aquelas que teriam o risco de ter.

Em Maceió, a ação foi executada na Unidade de Saúde da Família Rosane Collor (USF), localizada no Clima Bom, e em várias farmácia da cidade. O CFF, o Conselho Regional de Farmácia de Alagoas (CRF/AL) e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da Prefeitura de Maceió acompanharam e apoiaram a campanha.

A farmacêutica e coordenadora da campanha na USF Rosane Collor, Liliane Sampaio, explicou a importância de ações como a Diabetes Não Tem Cara. “Os números apontados na pesquisa são alarmantes, principalmente para as pessoas que não estão diagnosticadas. Realizar os exames de rastreamento para diabetes é de suma importância para dar o melhor encaminhamento aos pacientes”, pontuou Liliane.

A campanha foi destinada a pessoas entre 20 a 79 anos que não possuíam diagnóstico prévio de diabetes com o objetivo de prevenir consequências do diagnóstico tardio, como por exemplo a automedicação, principalmente na população mais carente, pois, são os que menos têm acesso à exames deste porte.

Os atendimentos foram feitos por uma equipe multidisciplinar como médicos, enfermeiros, agentes de saúde e farmacêuticos de outras unidades que se solidarizaram e apoiaram as atividades na USF Rosane Collor, a única unidade a realizar a campanha em Alagoas. “Foi um força-tarefa, toda a equipe de saúde da unidade e de profissionais de outros postos de saúde que abraçaram a causa”, informou Liliane.

De acordo com a coordenadora da campanha o resultado atingido foi bastante significativo. “Ao todo, 92 pacientes compareceram a unidade para participar do rastreamento, destes 92, 84 efetivamente participaram do rastreamento de casos suspeito de diabetes. E dos 84 participantes, 31 foram encaminhados ao atendimento médico para elucidação diagnóstica. Os pacientes realizaram testes de glicose, massa corpórea, circunferência abdominal e avaliação farmacêutica. Os pacientes que manifestaram alto risco de desenvolver a diabetes farão parte de um grupo de atividade física e orientação nutricional para diminuir as chances de desenvolver a doença”, explicou.

Além dos exames os pacientes tiveram acesso a outras atividades como corte de cabelo, design de sobrancelha, manicure e pedicure. A ação produziu bons resultados e mais farmacêuticos desejam realizar a campanha “Diabetes Não Tem Cara” em outras unidades de saúde.

Fonte: Ascom CRF/AL

22 de dezembro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *