19 de setembro de 2013

Moradores farão festa para receber profissionais cubanos

Os municípios que receberão profissionais cubanos a partir do dia 23 já preparam as recepções de boas-vindas àqueles que, em alguns casos, serão os únicos médicos locais após muitos anos.

Em Passira (PE), a prefeitura já planejava para este fim de semana um almoço ou jantar para recebê-los.

Mas a recepção teve que ser adiada depois que o Ministério da Saúde adiou em uma semana a estreia dos cubanos nos municípios.

Enquanto isso, a secretária local da Saúde vai às rádios informar sobre o atraso.

Em Santa Maria do Cambucá (PE), a dúvida é em relação ao idioma dos médicos. Essa questão, porém, não preocupa mais a técnica de enfermagem Girleide Medeiros, que trabalha no posto onde o médico atenderá.

Ela disse que já teve contato com uma médica cubana tempos atrás. “Ela não falava brasileiro [sic]. Tinha coisa que era meio enrolada, mas dava para entender. O que não dava, ela fazia um gestinho, e a gente se entendia.”

Na zona rural de Frei Miguelinho (PE), morar em frente ao posto de saúde não foi suficiente para que as irmãs Maria Agripina, 50, e Terezinha de Souza, 42, soubessem da chegada de um cubano.

Na unidade Nova Esperança, só há médico às segundas-feiras. Na última, por exemplo, ele não apareceu.

“Tanto faz de onde eles vêm, onde se formaram. Ruim é não ter médico”, afirmou Terezinha. “Se tiver um passamento [passar mal] agora, tem que alugar um carro [R$ 60] e ir para a cidade”, disse Maria Agripina.

Na Bahia, os municípios de Araci e Tucano também planejam recepções aos cubanos. Eles irão para postos da zona rural e cuidar sozinhos dos atendimentos locais.

Em Prudente de Morais (MG), haverá festa no distrito Campo de Santana: recepção preparada pelos funcionários da equipe de saúde, com salgadinhos e refrigerantes.

Fonte: Folha de São Paulo

19 de setembro de 2013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *